logo final.png

 

Psicóloga

Carla Navarro Baltazar Feijoo

 

CRP 06/60596

 

 

psi logo.png

Psicoterapia de orientação cognitivo-comportamental e programação neurolinguística à adolescentes, adultos e terceira idade. Tratamento clínico de baixa autoestima, insegurança, Transtornos do Desenvolvimento, Doenças Psicossomáticas, Depressão, Transtornos de Ansiedade, Fobias, Medos, Traumas, Transtorno obsessivo-compulsivo, Síndrome do Pânico, Stress, Transtornos Alimentares, e Distúrbios de autoimagem. Psicodiagnóstico, Psicoterapia, Orientação Vocacional, Coaching Emocional Humanizado de Vida e de Carreira, Treinamentos Comportamentais e Consultoria Organizacional. 

Psicoterapia Comportamental-Cognitiva

para TDAH

 

O objetivo mais amplo da psicoterapia comportamental-cognitiva é auxiliar o cliente a desenvolver novos padrões de comportamentos e de pensamentos e a motivação para construir uma nova estória de vida, com mais autonomia, satisfação e qualidade de vida. Os objetivos e as técnicas específicas variam de acordo com a faixa etária (crianças, adolescentes ou adultos) e com as demandas de cada caso. Ainda assim, há aspectos comuns a todos os casos.

 

Tudo o que somos, pensamos, sentimos e fazemos depende diretamente de estruturas cerebrais e hereditariedade genética; por outro lado, não somos simplesmente o produto do nosso cérebro ou nossos genes. Nossas circunstâncias de vida, experiências e aprendizagem interagem com estes fatores orgânicos, em uma combinação complexa, que dá origem aquilo que somos nós.
 

Ao longo da vida, aprendemos formas de agir e pensar que se tornam hábitos - maneiras padronizadas e cristalizadas de ser, que ocorrem de forma automatizada. Parte destas características, hábitos e maneiras de ser compõem o que é chamado de Personalidade. Muitos destes padrões são positivos, contribuindo para uma melhor qualidade de vida. Até mesmo prestar atenção é uma forma de comportamento.
 

Os problemas comportamentais e cognitivos podem ser divididos em dois grandes grupos: excesso de comportamentos indesejados, negativos ou pouco adaptativos (como desorganização pessoal, dificuldades com auto-controle, expressão pessoal ou de relacionamento, comportamentos explosivos, adiamento crônico, pessimismo e preocupações crônicas, etc.) ou ausência de comportamentos desejados (capacidade de planejar e realizar, cumprir tarefas, assumir responsabilidades e riscos, capacidade de manter equilíbrio emocional e relacionamentos com mais qualidade, entre outros).


http://www.dda-deficitdeatencao.com.br