logo final.png

 

Psicóloga

Carla Navarro Baltazar Feijoo

 

CRP 06/60596

 

 

psi logo.png

Psicoterapia de orientação cognitivo-comportamental e programação neurolinguística à adolescentes, adultos e terceira idade. Tratamento clínico de baixa autoestima, insegurança, Transtornos do Desenvolvimento, Doenças Psicossomáticas, Depressão, Transtornos de Ansiedade, Fobias, Medos, Traumas, Transtorno obsessivo-compulsivo, Síndrome do Pânico, Stress, Transtornos Alimentares, e Distúrbios de autoimagem. Psicodiagnóstico, Psicoterapia, Orientação Vocacional, Coaching Emocional Humanizado de Vida e de Carreira, Treinamentos Comportamentais e Consultoria Organizacional. 

Características Associadas

 

“As pessoas com TPN tendem a exagerar suas habilidades e realizações, bem como seu nível de intimidade com as pessoas que consideram ser de alto status. O seu senso de superioridade pode levá-los a monopolizar conversas e tornar-se impaciente ou desdenhoso quando os outros falam sobre si mesmos. No decorrer de uma conversa, eles podem propositadamente ou inconscientemente depreciar ou desvalorizar a outra pessoa ao super-enfatizar seu próprio sucesso. Quando eles estão conscientes de que suas declarações prejudicaram alguém, eles tendem a reagir com desprezo e a vê-lo como um sinal de fraqueza. Quando seu próprio ego é ferido por uma crítica real ou percebida, sua raiva pode ser desproporcional à situação, mas, tipicamente, suas ações e respostas são deliberadas e calculadas. Apesar das ocasionais crises de insegurança, sua autoimagem é essencialmente estável (ou seja, super-inflada).
Na medida em que as pessoas são patologicamente narcisistas, elas podem ser controladoras, ênfase em culpar aos outros, auto-absorvidas, intolerantes às opiniões dos outros, desconhecem as necessidades dos outros, os efeitos de seu comportamento sobre os outros e insistem em que outros os vejam como desejam ser vistos. Os indivíduos narcisistas usam várias estratégias para proteger o eu à custa dos outros. Eles tendem a desvalorizar, derrogar, insultar, culpar os outros e muitas vezes respondem a comentários ameaçadores com raiva e hostilidade. Uma vez que o ego frágil dos indivíduos com TPN é hipersensível à crítica ou à derrota percebida, eles são propensos a sentimentos de vergonha, humilhação e inutilidade em incidentes menores ou mesmo imaginados. Eles geralmente mascaram esses sentimentos de outros com humildade fingida, isolando socialmente ou podem reagir com explosões de raiva, para desafiar outros ou por vingança. A fusão do "autoconceito inflado" e do "eu real" é visto na grandiosidade inerente do transtorno de personalidade narcisista. Também inerentes a este processo estão os mecanismos de defesa de negação, idealização e desvalorização.
De acordo com o DSM-5, "Muitos indivíduos altamente bem sucedidos apresentam traços de personalidade que podem ser considerados narcisistas. Somente quando esses traços são inflexíveis, mal-adaptados, persistentes e causam comprometimento funcional significativo ou distúrbio subjetivo é que então constituem transtorno de personalidade narcisista". Embora o excesso de confiança tende a tornar os indivíduos com TPN ambiciosos, isso por si só não os conduzem necessariamente ao sucesso e à alta realização profissionalmente. Esses indivíduos talvez não estejam dispostos a competir ou podem se recusar a assumir quaisquer riscos para evitar aparecer como uma falha. Além disso, sua incapacidade de tolerar contratempos, desentendimentos ou críticas, além de falta de empatia, torna difícil para esses indivíduos trabalharem em cooperação com outros ou manter relacionamentos profissionais de longo prazo com superiores e colegas.”
(Referência: Wikipédia)