Reflexões no Divã...

                           Dra. Carla Navarro Baltazar Feijoo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Você sabe o que é Psicoterapia?

 

 

Na maioria das vezes, somos muito habilidosos para lidar com os problemas que aparecem na nossa vida. Conseguimos enfrentá-los quase sempre sem grandes dificuldades.

 

Mas, às vezes, nos encontramos em situações difíceis, onde nos sentimos impotentes, cansados, e até mesmo paralisados. Essas questões podem se relacionar ao trabalho, família, relacionamentos, separações, perdas, doenças... E provocam uma série de dificuldades que às vezes não conseguimos lidar bem sozinhos.

Em outros casos, podemos nos encontrar em momentos de escolha, e não conseguimos perceber a melhor saída. Por estarmos muito envolvidos emocionalmente com o problema, temos dificuldade em estabelecer prioridades. Outras vezes, podemos apresentar sintomas de algum transtorno psiquiátrico, como Ansiedade, Depressão, TOC, Fobias...  Nesses casos, a psicoterapia é fundamental para esclarecer ao paciente e familiares o Transtorno e auxiliar no desenvolvimento de estratégias de enfrentamento e superação das dificuldades. Na maioria das vezes é necessário um acompanhamento psiquiátrico concomitante.

A Psicoterapia é um processo reflexivo que vai sendo construído ao longo de encontros entre o Psicólogo e o Paciente, baseada em princípios e técnicas. Seu objetivo é levar o paciente a refletir sobre a sua existência, o modo como se percebe e percebe o mundo, situações difíceis que estejam acontecendo em sua vida e o modo como está gereciando as suas emoções. A psicoterapia tem como foco os estados emocionais, sentimentos, padrões de pensamentos, crenças limitantes e comportamentos do paciente.

No consultório, o profissional utiliza-se de testes e técnicas psicológicas para acessar a estrutura psicodinâmica (inconsciente) do paciente, e o estimular ao processo de reflexão, auxiliando-o a reconhecer sentimentos, emoções e comportamentos, muitas vezes arraigados e inconscientes. É um trabalho contínuo, árduo, realizado a dois, e que possui muitas variáveis envolvidas no progresso, entre elas a motivação, a disposição para mudança, e as “famosas” resistências inconscientes. Muito além da análise única e exclusiva do relato verbal, o psicoterapeuta parte para as "entrelinhas", prestando atenção no “não-verbal”, na linguagem corporal, nos atos-falhos, no tom de voz, nas expressões faciais do paciente, e no que casualmente é “esquecido” de se levar para a sessão.

Na medida em que a psicoterapia avança, o paciente passa a sentir-se à vontade para compartilhar suas idéias, reflexões, sentimentos, lembranças, medos e inseguranças, e começa gradativamente a se perceber melhor, a identificar padrões de pensamentos, a reconhecer sentimentos e resgata a sua auto-estima, percebendo a possibilidade de novas formas de expressão dos sentimentos e de atuação com o meio e com os outros.

O objetivo final do psicólogo será ajudá-lo a fortalecer a sua auto-estima, a sua auto-confiança, e viver com melhor qualidade de vida, de forma plena e feliz. Logo no início do trabalho, psicólogo e paciente identificam o foco e os objetivos do tratamento. As sessões psicoterápicas geralmente são semanais (cada caso é um caso),e tem a duração de 50 minutos. A frequência das sessões e a duração do processo terapêutico depende das necessidades particulares e dos objetivos de cada paciente. A alta se dá quando o paciente percebe claramente os fatores auto-sabotadores que o impedem de viver de maneira plena e realizada, e aprende estratégias para sair desse padrão.

 

​Dra. Carla N. B. Feijoo